<$BlogRSDUrl$>

31.8.03

Placar na Rua Braancamp (Lisboa):

Espero que tenha reparado: a Rua Braancamp tem um pavimento novo!

30.8.03

Em alguns pilares na plataforma das linhas 7 e 8 da Estação do Oriente:

Rapaz moreno 27 anos convive com raparigas ou senhoras carentes...

(Ocultamos o número de telefone que segue ao texto: não é nossa função servir de agência de encontros.)

29.8.03

Intermitentemente em quase todos os estabelecimentos comerciais do país:

Volto já

Num posto de electricidade na Rua das Amoreiras (Lisboa):

Não

Escrito em inúmeros tapumes por esse país fora:

Não estacionar: entrada e saída de viaturas.

28.8.03

Inesquecível aviso encontrado até há alguns anos atrás em muitos cafés portugueses:

Fiado só quando o Sporting for campeão!

Na parede da Santa Casa da Misericórdia (Lisboa):

Santa Mafia dos Especuladores

Na ombreira de uma porta no Bairro Alto (Lisboa):

Frase linda.
Agora imagina !!


Em qualquer tasca portuguesa durante o Verão:

Há caracóis

Em qualquer estádio de futebol:

John 3:16

27.8.03

Em qualquer WC do país:

(1)
Não urine para fora da sanita.

(2)
Baixe o tampo antes de se sentar.

(3)
Deite os papéis no caixote.


Num ou noutro WC:

Esta casa de banho é sua - deixe-a como a encontrou.

Numa tasca de camionista algures no Alto Alentejo:

Por favor não entre de tronco nu.

26.8.03

Em tempos não muito longínquos figurava nos outdoors da Câmara Municipal de Loures:

Loures - Zona livre de armas nucleares

Dístico Fruto Real à porta de milhares de cafés abertos:

Fechado

25.8.03

Alguns dos locais que frequentei na minha infância ostentavam este dístico:

É interdita a permanência a menores de 16 anos

Num WC perto de você:

É bom estar no urinol,
dar um traque em Si Bemol


"Num muro de uma rua da cidade":

Foste um bom robot hoje?

(in Trato-me Por Tu)

Numa rua de Queluz, a vermelho:

Amo-te Xanana

23.8.03

Eloquente epístola numa parede na zona da Bica (Lisboa):

Boo!

Numa rua de Santa Catarina (Lisboa):

Bora?
Pra onde? Hora: 4h20
Assim não consigo
Ass. Sónia


22.8.03

Numa rua em Moscavide (fizemos um pouco de arqueologia do P.R.E.C.):

O Álvaro Cunhal ganha só 7500$00 por mês? Coitadinho!

Já extinto, outrora em exibição no Colégio das Irmãs Doroteias, na Rua de Artilharia Um (Lisboa):

Freiras Boazonas

Junto ao Largo de Camões (Lisboa):

Turismo
Istérico


Enigmática declaração (?) na Rua da Rosa (Bairro Alto, Lisboa):

Mika
Fonzie
Mike
Paps

(seguido de um coração)

Estrategicamente grafitado na esquina de uma mercearia no Bairro Alto (Lisboa):

Não precisas de toda aquela merda que compras.
Eles precisam do nosso dinheiro para matar-nos.


Ainda no Bairro Alto (Lisboa):

(1)
Divagar!

(2)
This is the lost side of pizza

Numa outra rua do Bairro Alto (Lisboa):

Shiu... oiço ao longe os trompetes da rebelião.

Pelas paredes da Rua da Rosa (Bairro Alto, Lisboa):

(1)
Nem só de pão

(2)
Amor é não haver polícias!

(3)
Os meus amigos:
a humanidade


(4)
Diz-me...

Algures:

O trabalho enobrece o ser humano
...mas eu dispenso o brasão.


21.8.03

A boa e velha RTP, tantas vezes...

Pedimos desculpa pela interrupção. A emissão segue dentro de momentos.

Agora uma relíquia, antes um ensaio de outdoor, sempre a considerá-lo:

Adubai a terra com Nitrato do Chile

Sempre que acontece, numa tasca à saida de uma aldeia alentejana:

Oije o Almeida não está

Numa esquina, em Lisboa:

Morreu um anarquista. Mais uma garrafa de vinho para esta mesa!

Numa rua do Bairro Alto (Lisboa)...:

Rouba aos Ricos

...ao que alguém acrescentou:

Dá aos Anarcas!

20.8.03

Escrito numa placa num bar da Praia da Rocha (Algarve):

Smile. Today is the tomorrow
you worried about yesterday.


19.8.03

Dúvida pertinente à espera de resposta numa discreta parede de Bath (Sul de Inglaterra):

Is it OK for feminists
to shave their legs?


Obsoleto mas inesquecível apelo do início dos anos 80, hoje apenas encontrado em algumas paredes esquecidas longe dos centros urbanos:

Vota APU

Outro escrito encontrado em muitas paredes do pós-25 de Abril:

O voto é a arma do Povo:
não votes que ficas desarmado!


Em várias paredes de todo o país no pós-25 de Abril:

As putas ao poder
que os filhos já lá estão


No muro do Hospital Júlio de Matos (em Lisboa), no pós-25 de Abril:

Volta Vasco
nem que seja para a consulta externa


Escrito (agora desaparecido) num muro próximo do Estabelecimento Prisional de Lisboa:

Musicamos as palavras
com o diálogo da vida.


18.8.03

À saída do ascensor de Santa Justa em Lisboa (sabedoria popular):

Luta Puta

Frase em várias paredes de Lisboa, entre o Aeroporto e o Palácio de S. Bento:

Reagan go home (and take Soares with you)

Lendário pedido nas então intermináveis obras de uma conhecida barragem alentejana:

Construam-me, porra!

17.8.03

Numa parede de uma aldeia do Alto Alentejo:

Esta Parede pertence a António Franco Sarnadas

(in The Galarzas)

Num muro do Morro de São Paulo (Brasil):

Morro não,
tou morrendo!


No outro extremo da mesma parede de Lisboa:

Sem verdade
és um perdedor!


Numa parede de Lisboa, a caminho do Miradouro de Santa Catarina:

Liberdade de CELULITE
para tod@s


16.8.03

Manifesto pacifista em várias paredes da baixa de Lisboa:

Nem a vossa Paz
nem a vossa Guerra.
Guerra à Guerra!


Escrito em duas paredes de Lisboa, na zona do Cais do Sodré:

Se a droga te derruba
droga-te sentado


(in Prontos!)

Dec. Lei 01/2003:

Os posts publicados são para abuso geral.

Nenhum dos posts expostos deverá ser devolvido ou trocado, sem apresentação do respectivo talão de compra.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?